Páginas

De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sábado, Julho 19, 2014

Pirinéus e o 'Tour de France' 2014 ( II )

Dia 8 de viagem – 20jul14 – domingo
LANNEMEZAN – MONTRÉJEAU 
Noite calma sem vento nem chuva.
Saída em direção a Montréjeau onde estacionamos num _P_ original... coberto  em forma de abóbada e envidraçado.
é mesmo aqui...
_P_ N 43º 05' 04.3'' - E 0º 34' 17.4'' (com acesso wireless SFR/Nós)


Percorridos: 1.093 Km ( Dia 18 Km - a etapa mais curta! )


Um dos ex-libris da vila com 3.000 habitantes
Igreja de São João Batista

Dia 9 de viagem – 21jul14 – 2ª. feira
MONTRÉJEAU - PORTE DE BALÈS (_P_ - altitude 1.785 mts)
Choveu durante a noite caindo mesmo ao amanhecer.
Decididamente haveria de colocar o Gps a ajudar-me num percurso sinuoso e estreito já que não existe praticamente sinalização e o tempo chuvoso não ajuda nada.
no início da subida para a Porte de Balès
Felizmente que mesmo as nuvens a cobrir o céu de cinzento não invalidaram o funcionamento do pequeno aparelho o que se traduziu por uma ajuda importante tendo presente que o emaranhado de desvios à esquerda e direita não me levariam a ‘bom porto’.
FOTOS EM BREVE
Finalmente numa pequena localidade que dista uns 12 km do alto da ‘Porte de Balés’, ainda a uma altitude de 600 mts, tive um certo receio em prosseguir pois o pequeno largo da pequena terra ainda poderia albergar umas duas autocaravanas.
A tentação pela aventura da subida por estrada íngreme e sinuosa sobrepôs-se aos medos e decidi avançar.
Cada quilómetro que subia ia vendo uma ou outra AC estacionada nos únicos espaços contíguos na berma da estreita estrada. Com a constante subida a inquietude aumentava.
Terminou o sofrimento, quando lá no alto os colaboradores da organização me disseram para subir cerca de 1 km por um trilho que haveria lugares…
Cheguei ao meu quintal já as onze da manhã batiam, ora com chuva ora com nevoeiro.
Durante a tarde deambulei pelos trilhos em redor para me inteirar do ambiente reinante.
Várias AC de alguns Países que não imaginava (Eslovénia, Noruega, Alemanha…) e maioritariamente os Franceses e Espanhóis, claro… e… 2 AC Portuguesas já que após ter chegado chegou uma outra de um casal e filha de Loulé.
As viaturas e AC entretanto foram chegando toda a tarde preenchendo todo o espaço verde das 3 áreas disponíveis.
O programa da noite anunciado, o queimar dos 3 madeiros que durante a tarde foram preparados pelos locais dizendo que é ‘tradição’… ocorreu já noite pelas 22h. com ‘música ambiente’ de acompanhamento pelo grupo de instrumentos de sopro de ‘pastores’ locais  e uma breve sessão de ‘fogo de artifício’.
Percorridos: 1.131 Km ( Dia 38 Km )
A 1.775 mts – Gps N 42º 52’ 27.1’’  - E 0º 30’ 22.3’’
Dia 10 de viagem – 22jul14 – 3ª. feira
PORTE DE BALÈS – Lieu-Dit Saint Tritons – GARIN
Depois de uma noite fria e alguns grupos de jovens nórdicos  animados pelo excesso de álcool ingeridos durante a tarde e início da noite iam incomodanto a vizinhança  entoando canções sabe-se lá de quê…, o amanhecer entretanto surgiu com um sol esplendoroso mas pouco quente ou não se vislumbrassem os picos ainda com enormes franjas de neve.
No final da manhã, através da TV satélite, soube da decisão de Rui Costa abandonar o ‘Tour’… fiquei triste por ter já preparada a bandeira para o incentivar no cume.
Pensei alterar planos acerca das próximas duas etapas… deixei a decisão para o final da tarde.
Ao meio dia local já preparava o almoço para logo a seguir procurar um local onde não tivesse toneladas de gente.
Após o almoço e preparado um pequeno lanche, fiz-me à descida da encosta sabendo que no topo seria melhor assistir na Tv de tanta gente lá poder estar.
Desci uns mil metros junto a uma curva.
Há hora prevista começou a passagem da ‘caravan’ ou seja cerca de uma centena de viaturas animadas pela publicidade que iam atirando para a assistência pequenos ‘souvenirs’… tocando-me a mim uma dúzia de bonés e chapéus e até uma amostra de um detergente para máquina de lavar roupa… uma autêntica festa muito animada. A sua passagem demorou cerca de uma hora.
Um pouco mais de espaço de espera e os ‘hélis’ iam-se aproximando. Eis que surge um pequeno grupo de fugitivos e após ele um sem número de pequenos pelotões, passando a meio os nossos compatriotas juntos. Desde a passagem do primeiro até ao último decorreram 25 minutos.
Pelas 6 da tarde os ‘gendarmes’ não tinham ainda aberto a circulação em direcção à meta sendo que era esse o caminho que pensava fazer para assistir à etapa de amanhã mais concretamente no alto do Col Vale de Louron.
Mesmo se o tempo se apresentava soalheiro entremeado com algumas fugazes nuvens, fiquei que nem um tolo no meio da ponte. Que fazer?
Depois de uma noite fria e alguns grupos de jovens nórdicos  animados pelo excesso de álcool ingeridos durante a tarde e início da noite iam incomodanto a vizinhança  entoando canções sabe-se lá de quê…, o amanhecer entretanto surgiu com um sol esplendoroso mas pouco quente ou não se vislumbrassem os picos ainda com enormes franjas de neve.
No final da manhã, através da TV satélite, soube da decisão de Rui Costa abandonar o ‘Tour’… fiquei triste por ter já preparada a bandeira para o incentivar no cume.
Pensei alterar planos acerca das próximas duas etapas… deixei a decisão para o final da tarde.
Ao meio dia local já preparava o almoço para logo a seguir procurar um local onde não tivesse toneladas de gente.
Após o almoço e preparado um pequeno lanche, fiz-me à descida da encosta sabendo que no topo seria melhor assistir na Tv de tanta gente lá poder estar.
Desci uns mil metros junto a uma curva.
Há hora prevista começou a passagem da ‘caravan’ ou seja cerca de uma centena de viaturas animadas pela publicidade que iam atirando para a assistência pequenos ‘souvenirs’… tocando-me a mim uma dúzia de bonés e chapéus e até uma amostra de um detergente para máquina de lavar roupa… uma autêntica festa muito animada. A sua passagem demorou cerca de uma hora.
Um pouco mais de espaço de espera e os ‘hélis’ iam-se aproximando. Eis que surge um pequeno grupo de fugitivos e após ele um sem número de pequenos pelotões, passando a meio os nossos compatriotas juntos. Desde a passagem do primeiro até ao último decorreram 25 minutos.
Pelas 6 da tarde os ‘gendarmes’ não tinham ainda aberto a circulação em direcção à meta sendo que era esse o caminho que pensava fazer para assistir à etapa de amanhã mais concretamente no alto do Col Vale de Louron.
Mesmo se o tempo se apresentava soalheiro entremeado com algumas fugazes nuvens, fiquei que nem um tolo no meio da ponte. Que fazer?
Após 2 horas da passagem do ‘Tour’ saí do estacionamento ainda com algum pára arranca… e ao parar junto a um grupo de uma boa dúzia de Franceses, deram vivas ao Português que passava… aproveitei a gentilieza para os questionar sobre a minha hesitação de prosseguir à esquerda ( rumo à nova etapa) ou à direira de volta à AS onde passei dias antes pois não pretendia entrar em stresses desnecessários…
A resposta saíu de pronta… à esquerda… e lá iniciei a descida que os ciclistas haviam feito antes.
Rápidamente passei dos 1750 mts para os cerca de 800 mts onde uma fila de espera media uns 2,5 Kms. Pacientemente fui avançando lentamente, até que na encruzilhada que dá para Bagnéres-de-Luchon (onde terminou a etapa) e para os ‘Cols’… decidindo subir até onde visse que tinha local para estacionar sem passar o final de dia.
Chegado a Garin e após mais 1 km vi dun lado e do outro da estrada enormes parques relvados onde estavam cerca de duas a três centenas de autocaravanas.
Vi que ainda sobravam em terceira fila uns dois espaços e para aí me dirigi já que a noite se aproximava não querendo correr riscos de fazer a subida para o Col Val de Louron onde havia inicialmente pensado ver esta etapa.
Acabei por estacionar ao pé de uma autocaravana Portuguesa onde viajavam seis maduros que vivem na região de Sintra.
Um grupo de amigos animados e bem organizados para a ida ao ‘Tour’.
Até cerca da meia noite local ocupamos o serão numa troca de conversas interessantes.
_P_ - N 42º 48’ 25.3’’   -  E 0º 30’ 33.4’’
Percorridos: 1.154 Kms ( Dia 23 Kms )
Dia 11 de viagem – 23jul14 – 4ª. feira
GARIN – Col de Peyresourd – ARREAU
Uma noite bem dormida a temperatura amena com um amanhecer de céu limpo e sol radioso uma vez mais agradável  graças à neve que jazia ainda nos picos em redor.
O almoço ocorreu com o grupo de Portugueses que gentilmente me convidaram para almoçar com eles.
Fomos para a ‘estrada’ em busca dum local mais elevado e com pouca gente sem antes no percurso sermos saudados efusivamente pela abundante assistência pois terão achado que aquele pequeno grupo deveria ser incentivado a voltar… uma autêntica festa que continuou a merecer elogios pelos passantes na ‘caravana publicitária’ que ao passar por nós nos forçavam a agitar as nossas pequenas bandeiras e cachecóis.
Chegada a hora da passagem dos ciclistas, desta vez quiçá por ainda estarem distantes da meta, já vinha menos espaçados desde o fugitivo levando apenas uns dez minutos até ao último que por nós passou.
No final haveríamos de ir junto da autocaravana cantar ‘os parabéns’ ao mais novo dos sete que hoje perfazia 61 anos com direito a bolo e ao champagne!
Pelas cinco da tarde decidimos juntamente apontar como destino o alto da ‘Mongie’ ou mais à frente o ‘Col du Tourmalet’.
À chegada a ARREAU, decorridos 27 kms… a fila morosa fez-nos alterar os planos pois era uma encruzilhada onde entrecruzavam as viaturas vindas da meta e a polícia ter dado prioridade à passagem para os hotéis das viaturas oficiais do ‘Tour’ que serão uns três milhares.
Apontamos para o Camping Municipal onde no curto percurso de 800 mts, ‘raspei com a autocaravana num pára-choques duma viatura saída do estacionamento… nem parei até porque o prejuízo apenas me coube a mim.
Fiquei num enorme espaço de estacionamento a 500 mts do Camping onde já outros estavam.
Gps _P_ - N 42º 54’ 10.7’’   E 0º 21’ 27.3’’
Percorridos: 1.179 Km ( Dia 27 Km )

domingo, Julho 13, 2014

Tour de France - Pirinéus

Dia 1 de viagem - 13jul14 - domingo
BRAGA - CHAVES - PALÊNCIA
Com a visita ao meu Dermatologista, confirmei aquilo que já tinha compreendido,  o Carcinoma voltou.
Obtida a permissão para satisfazer esta vontade de assistir a uma que seja etapa do Tour de France, aqui vou a caminho, mesmo se as temperaturas prometem aquecer o trajeto que já de si é quente.
A habitual opção de percurso por Chaves cujas curvas e contracurvas se atenuam com a paisagem sempre agradável e bela das nossas barragens no percurso, Caniçada, Venda Nova e Pisões.
Venda Nova - não chegou a seca... quiçã por obras de ampliação
Foram 3 horas de muito 'sofrimento' pois tive de ultrapassar uma 'excursão' de 'motorizadas' que seguiam em grupo, sem respeitar as regras do código da estrada conseguindo passar todo o grupo de mais de uma centena Na Barragem de Venda Nova, que se apresenta semi-vazia.
Venda Nova
Paragem em Chaves para almoço e continuação de viagem até Palência, ponto de paragem já outras vezes procurado.
Nesta época do ano, a paisagem vai da 'côr de palha' dos campos de cereais já sêcos...


... aos verdes e amarelos dos girassóis...

... com odores campestres mil em todo o percurso...
O restante percurso foi algo penoso pela Autovia a velocidade de cruzeiro, valeu a suave brisa que facilitou as coisas mas a certo ponto a sono ameaçou atacar.
Pouco antes de Benavente surgem altas nuvens brancas qual algodão imenso que cobriam parcialmente o sol ajudando a prosseguir viagem até Palência onde chegamos a tempo de assistir à final do Mundial de futebol.
Percorridos: 432 Km
AS - Gps: N 42º 00' 14.6''  W 004º 32' 05.5'' - renovada e aumentada - 23 lugares.
Wireless: Hotel D. Sancho (Ppasse: REYSAN09)
Dia 2 de viagem - 14jul14 - 2ª feira
PALÊNCIA - VITÓRIA
Palência


Palência





a praia na relva
Um agradável passeio velocipédico pelas partes da cidade ainda não conhecidas aquando de anteriores passagens.
Muitas zonas verdes e ruas para peões acolhedoras. 

Palência
A estadia em Palência prolongou-se tarde adentro.
Aproveitado o final da tarde para me dirigir até Vitória.
A 40 kms antes de Miranda do Ebro, ainda se vêem as placas a convidar a fazer a viagem pela AE graciosamente, pelo que aproveitamos.


AS Vitória
Percorridos: 643 Km (Dia 211 Km )
Dia 3 de viagem - 15jul14 - 3ª. feira
VITÓRIA (GASTEIZ)
Com a parte da manhã repleta de nuvens altas, nada melhor que aproveitar para utilizar a AS para as necessárias tarefas de manutenção e confecionar o almoço.
Aproveitando a saída de algumas AC pela manhã, mudei para o _P_ da AS por prever que às 4ªas feiras se realiza o Mercado Semanal evitando assim inconvenientes.
uma cidade com muito ainda a descobrir

bonitos e agradáveis jardins



no centro citadino as bicicletas são autuadas caso não circulem com o ciclista apeado


muita animação





Da parte da tarde, visitei ali ao lado, o ‘Bar JADE’ do jovem Português onde me foi facultada a pp para a net.
Bar JADE do Bruno
No final da tarde pedalei pelas inúmeras pistas para bicicletas fazendo uma passagem pelo movimentado e animado centro. De notar que tendo a cidade uma cobertura enorme de ecovias, na praça central os ‘ciclistas’ tem de circular com a bicicleta pela mão, evitando assim a aplicação de ‘coima’ pela polícia.
O regresso já a noite se aproximava.
Dia 4 de viagem - 16jul14 - 4ª. feira
VITÓRIA (GASTEIZ) - SAN SEBASTIAN
Manhã cedo, os feirantes começaram a dar sinal de si. Foi uma medida acertada haver mudado para o interior da AS pois os que ficaram no exterior dela, tiveram de sair cedinho.
A meio da manhã, entrei numa Autovia que me levou ao destino San Sebastian.
O percurso é feito na parte final numa longa descida que vai caindo dos 900 mts até ao nível do mar. 
Pelo caminho uma dúzia de túneis facilitam o acesso.
Decidido aparcar na AS para AC municipal por a achar mais confortável e segura. Rápidamente ficou repleta.
Após o almoço e o visionamento na Tv do Tour de France, pelas 5 da tarde, desci a bicicleta que me fez percorrer sempre por ecovia toda a marginal.
Contornei toda a costa dentro do meio urbano inflectindo depois para a zona da Catedral.











O Padroeiro

Uma cidade com muita gente, com inúmera animação e  praias repletas.
Gostei de conhecer melhor esta cidade mesmo se num dia muito quente.
Percorridos: 764 Km ( Dia 121 Km )
AS para AC de Bério - € 6,55/24h. – N 43º 18´28´´  W 2º 0’ 51’’
Bus: 5 e 25 – ( fica a 1,5 Km da marginal e a 3,5km do centro)
Dia 5 de viagem - 17jul14 - 5ª. feira
SAN SEBASTIAN - HONDARRIBIA - HENDAYE - BIARRITZ
As Tv anunciavam um dia super quente. A temperatura sentida e anunciada, seria de 36ºC. Haveria de procurar outro poiso, se possível mais fresco.
Antes de prosseguir, rumei à alternativa de AS mais afastada a gratuita.
AS de S. Sebastião - alternativa
Longe do centro e algo desprotegida.
Acontece que ensaiei a aproximação a 3 dos locais indicados no Gps para autocaravanas, contudo, no verão o que era... não é...
Hondarribia
AS de Hondarribia (à direita)

O forte vento norte
A AS para AC de Hondarrabia, está bem localizada mas na minha opinião não justifica os € 12,00 de estacionamento e serviços.
Prossegui para a já conhecida AS de Bearritz, onde cheguei a maio da tarde.
Completa, valeu-me a simpatia dum autocaravanista Irlandês que me disse poder ficar 'fora das marcas' pois já na noite anterior alguém lá terá ficado.
Disponibilizou-me o acesso à sua tomada de corrente e lá fiquei com todas as 'escotilhas' abertas...





Já havia pernoitado mais de uma vez sem nunca ter pago, mas a explicação veio de uma Portuguesa emigrante que me disse que aquele espaço é administrado pelo equivalente ao nosso IEP (Inst. Estradas) que lá envia diáriamente um funcionário pelas 10 da manhã cobrar os € 12,00! estabelecidos...
No final de dia, a bicicleta foi para a estrada já que uma neblina tipo nevoeiro refrescou o ambiente.
Percorridos: 848 Km ( Dia 82 Km )
Gps: Long. 43.321297  Lat. -000.761167
Dia 6 de viagem - 18jul14 - 6ª. feira
BIARRITZ - Bidache - Sauveterre de B. - NAVARRENX - 
De volta aos Pirinéus, optei pelas estradas secundárias em direção à já conhecida cidade muralhada de Navarrenx sobranceira ao rio onde dizem se pescar o melhor salmão 'do mundo', ou não a considerem a Capital do Salmão.




E a viagem prossegue... com muito calor, o que me leva após ouvir as notícias, não ficar em Lourdes como acontece habitualmente, já que a termos amanhã ventos e chuva forte, não estaria lá muito sossegado pelos acontecimentos vários havidos noutras alturas de inundações etc... assim sendo fui em direção a Tarbes, onde tenciono ficar esta noite.
AS para AC - Gps N 43º 13' 06.3'' E 000º.04' 23.5''
Percorridos: 1.030 Km ( Dia 184 Km )
Com sorte, wireless disponível!
Dia 7 de viagem - 19jul14 - sábado
TARBES - LANNEMEZAN - ?
A última visita que efetuei ao Tour de France foi há 3 anos.
Todos os anos os percursos são alterados bem como os locais de chegada.
Algumas pessoas interrogam-me como ver passar a 'prova' se milhentas de AC o fazem e em locais tão difíceis por apertados e sinuosos...
Então aqui vai a minha visão do 'cenário' para as etapas dos dias 21, 22 e 23 ou seja as etapas das mais importantes e espetaculares.
Encontro-me no ponto A (Tarbes) onde pernoitei numa AS para AC.
Dia 21 a etapa termina em Bagnéres-de-Luchon (B) e é para lá... que tentarei rumar hoje ou amanhã.
A 22. etapa será no ponto C e para lá chegar não sei ainda se o faça diretamente pois tem uma parte bastante complicada para uma AC...
No dia 23 a etapa termina no ponto E, mas embora sendo distante do términus tentarei assistir no ponto D ou seja no Col du Tourmalet.
Horários, locais e horários de passagem está tudo no site oficial do Tour.
Et Voilá... aqui vou eu para os 'picos'!...
Dia 7 de viagem - 19jul14 - sábado
TARBES - LANNEMEZAN 
A última visita que efetuei ao Tour de France foi há 3 anos.
Todos os anos os percursos são alterados bem como os locais de chegada.
Algumas pessoas interrogam-me como ver passar a 'prova' se milhentas de AC o fazem e em locais tão difíceis por apertados e sinuosos...
Então aqui vai a minha visão do 'cenário' para as etapas dos dias 22, 23 e 24 ou seja as etapas das mais importantes e espetaculares.
Encontro-me no ponto A (Tarbes) onde pernoitei numa AS para AC.
Dia 22 - 3ª feira a etapa termina em Bagnéres-de-Luchon (B) e é para lá... que tentarei rumar hoje ou amanhã.
A 23. etapa será no ponto C e para lá chegar não sei ainda se o faça diretamente pois tem uma parte bastante complicada para uma AC...
No dia 24 a etapa termina no ponto E, mas embora sendo distante do términus tentarei assistir no ponto D ou seja no Col du Tourmalet.
Horários, locais e horários de passagem está tudo no site oficial do Tour.
Et Voilá... aqui vou eu para os 'picos'!...
Antes de partir, avancei em direção ao centro da cidade de 50.000 hab..
Muitos espaços onde estacionar e zonas verdes.
Havia estranhado ter ficado sózinho na AS (por detrás do arvoredo face a meia dúzia de moradias), mas ao passar do outro lado do estádio constatei que um local bem mais calmo era o local escolhido pelos demais para ficar.
N 43º 13'17.9'' E 0º 04' 37.5''
A outra AS na cidade, não visitei.
Aproveitei a manhã agradável, nublada e fresca sem sol, ideal para o verão, para visitar o centro citadino.


o quartel dos páraquedistas




O dia continuou pejado de densas nuvens.
Uma viagem curta e agradável.
Paragem na pequena localidade de LANNEMEZAN cuja AS se encontrava com uma dúzia de AC que aqui pernoitam para como eu seguir para os locais de passagem do ‘Tour’.
AS de Lannemezan



Uma volta pedestre à pequena e simpática localidade após assistir na tv à etapa de hoje nos Alpes.
AS N 43º 07’ 43.1’’ E 0º 22’ 52.2’’ – grátis
Percorridos: 1.075 Km ( Dia 45 Km )
Dia 8 de viagem – 20jul14 – domingo
LANNEMEZAN – MONTRÉJEAU 
Noite calma sem vento nem chuva.
Saída em direção a Montréjeau onde estacionamos num _P_ original... coberto  em forma de abóbada e envidraçado.
é mesmo aqui...
_P_ N 43º 05' 04.3'' - E 0º 34' 17.4'' (com acesso wireless SFR/Nós)


Percorridos: 1.093 Km ( Dia 18 Km - a etapa mais curta! )


Um dos ex-libris da vila com 3.000 habitantes
Igreja de São João Batista