Páginas

De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

segunda-feira, março 23, 2015

Primavera renova a vida

O 'bode' do Sr António - dócil e terno com a sua barba respeitável
Quando vislumbramos tanta sombra em redor, constatamos que ainda há sol no universo, flores campestres e animais a pastar nos verdes prados.
Temos a inocência das crianças com os seus sorrisos felizes.
Temos ainda almas que sonham.
A Primavera dá uma ajudinha.
22mar15 - domingo
Cabaços - PONTE DE LIMA
Os 'cabritinhos' não quiseram nada comigo...
Foi assim que reparti esta semana de Primavera, entre a família pouco numerosa e os amigos das aldeias aqui em redor.
Desta feita com a ida a Cabaços uma freguesia rural do concelho de Ponte de Lima que constitui, até ao início do Séc. XIX, o couto de cabaços.
A convite da minha neta, uma visita a uma aula 'aberta' de bailado no seu colégio

segunda-feira, março 16, 2015

Inovar local de visita falhado

1º etape Esposende a caminho de S. Bartolomeu do Mar
Dias 7 e 8mar15 - sábado/domingo
BRAGA - ESPOSENDE - SÃO BARTOLOMEU DO MAR - AVER_o_MAR
Mais um tempo soalheiro que antecipa a chegada da tão ansiada primavera.
Num percurso 'caseiro', chamados pelo anúncio da inauguração da orla costeira de São Bartolomeu do Mar, fomos atraídos para lá.
A chegada a Esposende local agradável mas um quanto barulhento à noite pelos 'aceleras' que na marginal passam em estridentes correrias, fomos ao encontro do Amigo Artur Castro que nos acompanhou.
À chegada ainda por lá proliferavam patrulhas da GNR já que o Presidente de Boliqueime havia zarpado momentos antes.
S. Bartolomeu do Mar - ''Obra'' inaugurada
Investimento de cerca de três milhões de Euros que viemos a compreender que não trouxe mais-valias em termos de estacionamento, pelo contrário... edificações derrubadas, barreiras de areia e vegetação e... cimento... muito cimento.
O Largo passou a 'peatonal'.
O parqueamento de viaturas haveria de ser reduzido, ora sendo nossa intenção ir em busca de alternativa a Aver-O-Mar, levou-nos a com alguma dificuldade fazer a manobra de retorno e regressar desta vez ao reduto que nos resta em Aver-O-Mar.
Para pernoitar aqui? Não dá...
Em São Bartolomeu do Mar, concelho de Esposende, manda a tradição que no dia 24 de agosto as crianças mergulhem no mar, não uma vez mas várias e em número ímpar, para que fiquem livres de males como o medo, a gaguez ou a epilepsia.
O chamado banho-santo é um dos pontos altos da romaria da terra e, a prová-lo, a praia local voltou a encher-se de gente neste domingo. Apesar do frio e da temperatura gelada da água, as crianças foram levadas pelos familiares aos mergulhos, num ritual que termina depois, para cada uma delas, com três voltas à igreja, segurando um galo preto.
A superstição é antiga, remonta ao século XIX e tem origem numa lenda, segundo a qual todos os anos, precisamente no dia 24 de Agosto, o diabo anda à solta, só voltando ao mar quando anoitece. É esse o motivo para levar as crianças ao mar, durante o dia, para que aproveitem as águas 'puras' para se curarem de muitos males.
Alheias à crença dos familiares, as crianças nem sempre entram no mar de boa vontade. Mas, com mais ou menos paciência, foram no domingo deixadas nas mãos das duas pessoas encarregadas de as mergulhar, tarefa pela qual foi preciso pagar cinco euros por criança. Já o aluguer do galo preto para as voltas à igreja custava 7,5 euros.
Cumprida a manhã, à tarde a procissão a São Bartolomeu do Mar, padroeiro da terra, voltou a ser ponto de encontro obrigatório.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/sao-bartolomeu-do-mar-cumpriu-tradicao-dos-banhos-santos=f887008#ixzz3UT1VXzEZ

Aver-O-Mar - lado norte
Em face do cenário, decidimos inverter o sentido da viagem e passando de novo por Esposende acostar no parque já conhecido de Aver-O-Mar (lado norte).
 O dia soalheiro proporcionou mais um final de dia com algum vento e pouca ondulação no oceano.
 Com o tempo assim, há sempre quem venha fruir a beira mar.
 Um local imensamente calmo e sossegado.
Reordenamento costeiro no enorme areal onde até aqui ficavamos
Como que para 'matar saudades', a pé revisitamos toda a zona que está a ser objeto de reabilitação mas que a Câmara da Póvoa de Varzim já nos informou que deixará de receber AC... 
Com os inúmeros parqueamentos ainda disponíveis em Vila do Conde e a norte de Aver-O-Mar, continuaremos a ter onde estacionar sem ser incomodado por autarcas que não vêem nem querem ver o potencial económico que representa este nicho de turistas que são os autocaravanistas.
Dias 14 e 15mar15 - sábado e domingo
BRAGA - VILA DO CONDE - V.N.Famalicão - BRAGA
Vila do Conde
O lugar onde o coração se esconde/
é onde o vento norte corta luas brancas no azul do mar/
e o poeta solitário escolhe igreja para casar/
O lugar onde o coração se esconde/
é em dezembro o sol cortado pelo frio/
e à noite as luzes a alinhar o rio/
O lugar onde o coração se esconde/
é onde contra a casa soa o sino/
e dia a dia o homem soma o seu destino/
O lugar onde o coração se esconde/
é sobretudo agosto vento música raparigas em cabelo/
feira das sextas feiras gado pó e povo/
é onde se consente que nasça de novo/
àquele que foi jovem e belo/
mas o tempo a pouco e pouco arrefeceu/
O lugar onde o coração se esconde/
é o novo passado a ida para o liceu/
Mas onde fica e como é que se chama/
a terra do crepúsculo de algodão em rama/
das muitas procissões dos contra-luz no bar/
da surpresa violenta desse sempre renovado mar? O lugar onde o coração se esconde/
e a mulher eterna tem luz na fronte/
fica no norte e é vila do conde
«Portugal, sacro-profano lugar Vila do Conde», de Ruy Belo.
Uma vez mais escolhemos este fim de semana para fruir a simpática cidade de Vila do Conde, com o seu rio Ave onde os amantes de desportes naúticos proliferam. 
Foz do Ave - Vila do Conde

 Desta feita, os autocaravanistas enchiam por completo toda a zona envolvente da Foz do Ave.
O Convento de Sta Clara finalmente em fase de restauro

A canoagem - o desporto preferido pelos locais
 Não nos fatigamos de constantemente por cá passarmos e calcorrearmos as agradáveis artérias desta cidade ribeirinha.

Lotação esgotada
 Voltaremos por certo.
O Parque interior - repleto - o meu preferido por mais sossegado

quarta-feira, março 04, 2015

Viver Já!

28fev e 1mar15 - sábado e domingo
VILA DO CONDE
Viver Já
O cizentão do tempo, não ajuda muito. Melancólico, vou mesmo assim arrumando as ideias.
A breve trecho a Primavera servirá como um novo alento.
Haveria de sair de novo ainda que por perto e por pouco tempo como que para ganhar balanço para novas paragens.

- ''Cada um de nós tem a possibilidade de desfrutar da vida com um espírito são. No dia a dia, deixamo-nos afectar com demasiada facilidade por tudo o que nos acontece de menos bom, pelo ambiente que nos rodeia, e pelas opiniões dos outros. E atormentam-nos a mente. 
Está em nosso poder não estar constantemente a evocá-los. 
O que está nas nossas mãos resolver, assim o faremos. O que não está, não adianta nos massacrarmos com isso. 
A nossa mente está sempre ocupada com algum tipo de pensamento. 
Porque não poderá ser com pensamentos bons, se estamos num momento de ócio? 
Quantas vezes já desperdiçámos horas e dias inteiros de lazer, devido à nossa ansiedade por preocupações que não estão nas nossas mãos resolvê-las naquele momento, ou devido a acontecimentos que terão lugar mais tarde?


É um desperdício não desfrutar de tudo o que de bom possamos ter à mão neste momento em troca de algo que está ausente. 
Imaginem o quanto estão a perder se não tivessem a possibilidade de as desfrutar. ~
Aí estão, à vossa espera, como presentes por abrir, e que se mantêm fechados enquanto persistem em pensar no que vos perturba de momento. 
Afinal de contas, a maior parte das coisas que se passa à nossa volta é fugaz, passam rapidamente e desaparecem. 
Se nos deixarmos levar por toda e qualquer circunstância, como um barco sem rumo, cada vez teremos maior dificuldade em nos centrarmos em nós próprios e perseguir o que realmente gostamos de fazer. 
Muito lutámos para termos tudo o que de bom alcançámos. 
O tempo nunca chega para realmente usufruirmos das pessoas que amamos e de todos os pequenos e grandes prazeres da vida. 
Não é uma loucura abrirmos mão de tudo isso, constantemente, devido a uma preocupação que terá o seu tempo próprio para se resolver? 
As coisas boas da vida estão aí, à nossa espera. Não adiem mais as vossas vidas. Vivam já.''
Sophia de Mello Breyner Andresen.
 Muito obrigado Grande Sophia. Seguirei os teus sábios pensamentos.
Apesar das incertezas do futuro, irei despegar-me dos mêdos e inseguranças e render-me ao 'destino' aceitando o inevitável.
Há que saborear os pequenos momentos agradáveis e viver sentindo e valorizando os pequenos nadas.
A Primavera se encarregará de nos dar novo fôlego.


sábado, fevereiro 21, 2015

Apoios recebidos

Até na Galiza há sempre alguém que nos segue.
''Caro Antonio Resende, não me conhece é claro. 
Sou mais um dos anónimos que o inveja, admira e respeita e que segue irregularmente o seu blog. 
Por vezes não me agrada a sua exposição publica, e é um assunto que só a si diz respeito, mas o bem que faz a outros viventes com a sua corajosa atitude modera-me esse desagrado. 
E continuo a espreitar para a sua janela.
Constato que não atualiza o blog há algum tempo. Doença, desalento, descanso, está farto? 
Sabe que a sua ultima exposição não foi muito, como direi, otimista.
Presumi alguma apreensão. 
E esperei por um escrito mais positivo. Que não apareceu.
Daí esta duvida. Que terá acontecido. Para qualquer situação o meu obrigado e reconhecimento pelo tempo perdido (ganho) com o blog, saúde e tudo a correr pelos seus desejos, sonhos.''
Caríssimo 
Grato pelo seu cuidado.
O Blog tem andado num 'marasmo' por motivos vários.
Felizmente que saiba, a saúde física e mental tem estado bem.
Acontece que em função do 'mundo' que nos rodeia estar no estado em que está, tendo já percorrido nestes 10 anos de reforma tudo o que 'era' possível fazer de AC ( do Cabo Norte à Irlanda, Capadócia e Guiné-Bissau ), vejo que agora com as condicionantes da 'Crise Financeira e de Valores' que grassa por cá e lá por fora... fico entristecido, razão pela qual este princípio de ano nem para Marrocos fui e a vontade de escrevinhar vai sumindo.
Óbvio que penso continuar a fruir do prazer de viajar de AC (ainda que cá dentro percorrendo tantas aldeias acolhedoras que ainda vamos tendo ), mas o 'blog' fiz uma pausa pois comecei a pensar que tendo entrado numa fase 'repetitiva' de pequenas viagens não interessaria 'aos meus muitos leitores'...
Verifico que como o Sr. outras pessoas me tem questionado de tal 'adormecimento' pelo que sinto a necessidade de lá voltar para pelo menos dizer QUE ESTOU BEM felizmente.
Mais sabendo que outras pessoas de idades várias me tem pedido 'dicas' para irem a Marrocos e a alguns países Europeus e tenho conseguido alimentar-lhes a chama para avançarem sem medos não descurando a prudência necessária...
Faculto o meu telf fixo... et voilá... Tudo o que sei e vivenciei transmito.
Como exemplo um casal aí da zona de Setúbal que conheci na Hungria há um bom par de anos (são um pouco mais velhos que eu)... convenci-os a irem este mês a Marrocos... e vão mesmo.
Ontem já meti mais uns pequenos textos da viagem de fim de ano. Tenciono acabar esta semana. (Prefiro 'rolar' que passar horas na net)
Assim sendo, uma vez mais grato pelo seu 'alerta' que junto com outros me farão despertar para esta vivência salutar que retomarei em breve.
Bem haja e o meu abraço.
António Resende
Nota: O seu comentário : ''... por vezes não me agrada a sua exposição pública...'' até para ter a noção do alcance da sua opinião - sempre achei que estamos sempre a tempo de aprender e corrigir, não me quer exemplificar melhor?  
''Fico feliz. Por dois motivos: não se passa nada (consigo) e resposta pronta.
Roubando algum tempo à profissão e para responder à sua questão.
A exposição refere-se a informação pessoal e familiar, intima ( e… ?) que
segundo o meu raciocínio não deveria ser exposta a entidades, públicas ou privadas e a leitores potencialmente mal intencionados ( boa parte da internet das boas intenções já foi enterrada à muito).
A vida privada pertence-lhe a si, aos familiares e amigos. Não pertence ao
blog. Porque ficará ad eternum na net. Sujeito a todo o tipo de olhares.
Continuando o raciocínio (bem ou mal), não será o conteúdo do blog
(deslocações em autocaravana, parceiros, comentários políticos, sociais,
gostos pessoais)  já uma exposição de temas privado (íntimos). E não foi
isso que me motivou a segui-lo?
Suponho que o que me incomoda é o facto de tratar os leitores como pessoas
de bem. Gente boa. De confiança.
Daí fotos familiares, de ocasiões e situações festivas ou nem tanto. Confia
e transmite isso mesmo. Os humanos são seres sociais e solidários.
Mas a experiência (tenho 55 anos) sopra-me outros receios. As entidades que
controlam a net (o estado, empresas (google, Microsoft, ebay, amazon) cia
etc…) não são reguladas  por ninguém de fato.
O abuso (descobri que o Google tem uma coisa chamada histórico de
deslocações onde até as viagens ao supermercado ficam nos servidores da
Google…), a idiotice, o desprezo pelo humano das entidades e na raça humana
a falta de respeito (reconhecimento) pelo esforço dos outros, a incapacidade
de admitir a sinceridade, a inveja destrutiva para além de muitos outros
valores trocados, são inatos da personalidade de muitos humanos.  Por isso
receio por si que hipoteticamente irá levar pela certa com algum retorno
menos simpático senão de entidades possivelmente de um humano mais símio.
Para terminar este monologo: o caro António é adulto e conhece melhor que
ninguém as linhas com que cose a sua vida. E de comentários bem intencionado está o inferno cheio. Caro António é a sua vida. E quem sou para estar a mandar bitaites sobre a forma como deve gerir o blog?
Mudando de assunto, e uma vez que conheço algo da sua vida mas sou para si
um desconhecido.
A autovivenda dos ---- ... é o meu carro do dia a dia que se transforma aos fins de semana. Infelizmente demasiado poucos .../...s portugueses, e resta-me o humor desencantado. Odeio esta estranha e sistemática transferência de dinheiro dos mais pobres para os mais ricos com o apoio do nosso primeiro, e como pertenço à casta dos que repudiam o fascismo financeiro reinante compreendo o António muito bem quando aborda questões politicas e sociais.
Desde há um ano que ando a iniciar-me nesta vida ambulante. Deslocações
pequenas, curtas, à medida do ordenado . Quando posso, forço, e consegui
chegar aos Picos da Europa. Fantásticos.
Mas pouco mais. E por isso as suas viagens fazem-me sonhar. Ter desejos de.
Mas na impossibilidade disso se alguém  realiza essas viagens vem a tal
inveja positiva de piscar de olho. Ainda bem que alguém bom consegue
realizar. Pelos seus olhos vou conhecendo este país e arredores. E como ser
um ambulante melhor. E o que significa ser autocaravanista. Digamos que o
António me ajuda a compreender melhor esse mundo. Por isso o seu blog é
importante. Para novatos com vontade de conhecer. Para ajudar os que não
podem fazer como desejariam.  Para incentivar à prática. Creio que o blog
consegue tudo isso. Com um ser solidário a mexer nas engrenagens.
PS: Se passar por esta zona sem pressa e com sede diga algo.  Será um
prazer ouvir histórias com autocaravanas.
.../...
Agradeço a dedicada atenção a um dos seus leitores.
Um encontro acontecerá certamente.
O Norte atrai o Sul e vice versa.
A minha parceira por vezes fala na rota do Douro
Do Porto até Peso da Régua.
Eu estou um pouco “pendurado” no Norte de Espanha.
Os Picos. Aquilo atrai-me…
Qualquer dia surge um e-mail a sugerir uma cerveja ou semelhante.
Do Norte ou do Sul. Não interessa. Conta mesmo é a vontade.
Mas o mais importante é/ foi o caro António não defraudar.
Duvidas de leitor e resposta pronta.
Um prazer lidar com pessoas assim.
Um grande Abraço  e quando o desânimo assombra pense nos leitores.
Eles gostam de si.
O meu Obrigado a mais este Amigo 'desconhecido' que virei a conhecer pessoalmente um dia destes.
Gostei do seu testemunho sincero. Bem Haja.
vvvvv
Amigo folgo em saber que estás bem de saúde e que a gripe é coisa do passado. Também achei estranha a tua ausência do blog, um mês e tal, e estava para questionar o motivo, mas depois de ler com melhor atenção, dizias algures que estavas com preguiça e falta de paciência, e quedei-me.
Aquilo a que o visitante do blog chama a atenção, não é assim tão descabido. Numa sociedade com ausência de valores, governados por palhaços e sua corte, energúmenos à solta é que não faltam. Há cautelas que são básicas, eu quando era jovem, muitas vezes ia namoriscar para sítios isolados da Falperra e outros e agora, nem pensar.
Espero também que não desanimes de postar, acho que não és homem para isso. Tens um pensamento escorreito, escrita agradável e transmites energia positiva.
Bom, até um dia destes. 
Saúde+viagens+postes. Mário~
vvvvv
Neste início de fevereiro, como tanta gente, fui atingido por uma desagradável gripe.
Casa e mais casa... mesmo assim ainda arranjei 'forças' para visitar um Amigo autocaravanista que fez questão de avisar que ia passar por cá.
Guardamos um espaço calmo e sossegado para ele poder visitar a cidade tranquilamente sem se incomodar com precalços.
Mesmo com a gripe a limitar-me fortemente os 'movimentos', não deixei de conversar com um Amigo que até aqui apenas virtual mas que com a sua visita à minha cidade 'validamos' a amizade. O meu abraço ao António que passou aqui no Norte e fez questão de nos visitar.
Não fora a gripe e teria acompanhado os meus Amigos numa digressão que mesmo em tempo frio, não perderia: ''Sexta-feira 13 em Montalegre''  e a passagem em Podence para assistir à chocalhada dos 'Carêtos'... 
 Dias 16 a 18 fev15 - 2ª, 3ª E 4ª.feira
VILA DO CONDE


O carnaval aqui, pouco se nota...


 A habitual caminhada junto ao mar e desta feita, a visita ao complexo contíguo ao parque de estacionamento onde pernoitamos.
Trata-se do SMIA de Vila do Conde, um espaço interessante de visita gratuita.
O CMIA é um equipamento municipal com a coordenação científico-técnica do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) da Universidade do Porto que pretende contribuir para o desenvolvimento de ações de sensibilização e educação ambiental e monitorização de diversos descritores ambientais. Procura desta forma gerir esta informação de forma a contribuir para a melhoria da qualidade ambiental.
Esta exposição ora visitada, pretende dar a conhecer a vida misteriosa dos anfíbios, de forma a sensibilizar a população para a sua importância ecológica e conservação e assim melhorar a imagem pública destes animais tradicionalmente associada a crenças e mitos infundados.
Esta exposição será procurada por público escolar.
Os meus vizinhos autocaravanistas não me parece sequer terem alguma vez entrado no edifício, o que é pena.
Várias espécies de anfíbios (19), dos quais, 12 anuros - rãs e sapos -  (sem cauda) 7 urodelos - salamandras e tritões - (com cauda).
Na quarta-feira pela manhã, fiquei 'isolado'... nada que me inquietasse
Com uma aberta no 'carvaval' e a gripe a dissipar-se, contentar-me-ia com a passagem de 3 dias no local habitual de Vila do Conde.
A TVI  
Já por casa, bem agasalhado, umas boas caminhadas percorrendo a cidade de uma ponta à outra... ainda tropecei numa equipe da TVI que fez questão de me 'sacar' a opinião sobre 'coisas da terra'...

segunda-feira, fevereiro 16, 2015

Ponte da Barca aqui tão perto

7 e 8fev15 - sábado/domingo
PONTE DA BARCA
Ponte da Barca é uma vila portuguesa no Distrito de Viana do Castelo, região Norte e sub-região do Minho-Lima, com cerca de 2 300 habitantes.
Na pequena Feira do Fumeiro e do 'Vinhão' em Ponte da Barca
É sede do concelho de mesmo nome com 12 061 habitantes , subdividido em 17 freguesias.2 O concelho é limitado a norte pelo concelho de Arcos de Valdevez, a leste pela Espanha, a sul por Terras de Bouro e Vila Verde e a oeste por Ponte de Lima.

Deve o seu topónimo à "barca" que fazia a ligação entre as duas margens do Rio Lima, muitas vezes peregrinos a caminho de Santiago de Compostela, sendo a "ponte" construída em meados do séc. XIV que lhe vai dar o nome de S.João de Ponte da Barca (1450).

O ponto mais alto do concelho situa-se em plena Serra Amarela, no alto da Louriça, com 1 359 metros de altitude, na freguesia do Lindoso.
Desta terra é oriunda a mãe de Santo António de Lisboa, Teresa Taveira, nascida na Casa do Paço, freguesia de Lavradas; bem como o navegador Fernão de Magalhães, da nobre família do Paço Vedro (freguesia de Magalhães).
 Em 1917,aconteceram no sítio do Barral, as famosas Aparições de Nossa Senhora da Paz. Hoje em dia local importante de peregrinações.
As nossas AC no largo fronteiro ao Rio Lima
Mais um fim de semana de tempo frio mas soalheiro, decidimos rumar a Ponte da Barca.


A Matriz
Um fontanário fora do comum

Uma jovem bom bom gosto - leitura ao som estridente das águas revoltas do Rio
Ei-la aproveitando a natureza



Cascata do Rio Vade, antes da confluência com o Rio Lima aqui a 50 mts



Os Municípios do Vale do Lima - Viana do Castelo, Ponte de Lima, Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, juntamente com a Comunidade Urbana Valimar, criaram os Projetos Caminhos do Lima e Guarda-Rios.
Estes projetos visam uma intervenção na área ambiental, com diversas iniciativas aos níveis da preservação dos habitats, sensibilização das populações para a preservação da natureza e o fomento do ecoturismo.
De entre as diversas intervenções, destacam-se a criação de trilhos à beira-rio, nomeadamente com a construção da Ecovia do Rio Lima ao longo das duas margens do rio, bem como de outras ciclovias de ligação entre si.
A Ecovia do Rio Lima é constituída por 5 Troços: o Troço dos AÇUDES entre Ponte de Lima e Ponte da Barca; o Troço da LARANJA entre o Ermelo (Arcos de Valdevez) e a Albufeira de Touvedo; o Troço das LAGOAS entre Ponte de Lima e a Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos; o Troço das VEIGAS entre Deão (Viana do Castelo) e Ponte de Lima e, o Troço de Refoios entre Ponte de Lima e Refoios do Lima.
O almoço, ocorreu ali a 2 metros do local de pernoita no simpático Restaurante Varanda do Lima. Não... não fomos à lampreia, mesmo se havia... não apreciamos... mas gostamos do serviço e do preço.