Páginas

De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

quarta-feira, julho 29, 2015

Tour de France... e não só... parte III

Castelo de FRIAS
Dia 4 de viagem – 5julho2015 – domigo
FRIAS – Salinas de Añana – VITÓRIA
Logo após o pequeno almoço, encetamos a subida junto ao casario medieval. No castelo, tivemos de aguardar a chegada dos funcionários pois a abertura apenas ocorreria às 11h da manhã.

 As vistas do alto do torreão, são espectaculares. Os arruados repletos de bares começam a labuta matinal com as arrumações das esplanadas.











Na ida ao posto de turismo, lá no alto, junto ao castelo, ao pagarmos o ingresso ( € 1,50), ao dizermos que viajávamos em autocaravana, a simpática funcionária lembrou que deveríamos pagar a pernoita ( € 6,00), perante o nosso espanto, encolheu-se e respondeu que os funcionários do ‘Alcaide’ era quem fiscalizavam… como iríamos sair e não víamos motivo para o pagamento (um parque térreo) óbviamente que sorrimos... e não pagamos.
Junto à muralha, entretanto reparamos num ótimo parque de estacionamento alcatroado e não taxado... coisas de 0'alcaide'...






Vista parcial de FRIAS, desde as ameias do torreão
Um 'corte' para ilustrar o interior dos edifícios da encosta


Próximo do Castelo, ao escutarmos o badalar estridente de quatro sinos de médio porte, levaram-nos ao interior do templo, onde um adolescente com os seus 15 anos de idade, teclava no órgão, qual concerto improvisado, e os seus colegas escutavam atentamente, e aplaudiam no final.

Um grupo de adolescentes assistiu a um mini-concerto de órgão executado por um deles


Frias
à saída li o 'regulamento' - com a taxa de € 6,00!!!... que não pagamos...
Saímos em direcção das Salinas de Añana, já no País Basco. 


no percurso, a barragem do Rio Ebro




Aí, sendo domingo, a pequena aldeia tinha o estacionamento esgotado, sobretudo junto à piscina. 



Procuramos a última alternativa de estacionamento e foi lá que preparamos o almoço, paredes meias com um Convento da Ordem de Malta.


Descemos ao povoado e adquirimos o ingresso para as salinas, onde fizemos o percurso acompanhados de uma guia ( € 7,00).
 El Valle Salado de Añana é uma paisagem cultural e natural de sal, com mais de 6.500 anos em pleno processo de recuperação para lhe ser devolvida a sustentabilidade.

Debaixo de estruturas de recuperação aberto ao público, os visitantes de todas as idades e grupos, podem disfrutar de diferentes percursos guiados e experiências para conhecer a história, a arqueologia e a biodiversidade das salinas; produzir e colher eles mesmo o Sal de Añana e beneficiar dos efeitos terapêuticos da água salgada. 

 A visita ao ''Valle Salado'' é o local ideal para quem se aproxima a primeira vez das salinas ou quer ter uma imagem global da paisagem, a sua importância e o processo de recuperação e seu valor.

 Entre os meses de abril e outubro, esta visita inclui a possibilidade de disfrutar do Spa Salino ao ar livre. Nas suas instalações pode-se introduzir os pés e as mãos nas águas super salinizadas procedentes dos mananciais. Sentimos assim, os efeitos benéficos da água salgada.
Os Mistérios da Natureza.

Situa-se esta maravilha na cidade de Añana, onde o sal é um conjunto impressionante. A sua formação remonta a mais de 200 milhões de anos atrás, quando tudo era mar. O sal foi depositado no subsolo e foi ressurgindo por meio de um fenómeno chamado ''diapir''. 

 Assim, a água salgada, depois de ser exposta ao sol, evapora e do líquido o sal surge. Atualmente é todo recuperado, mas pode ser visitado, terminando o passeio com uma mão relaxante e pés de molho em água salgada. 

Pessoalmente, adorei este sitio. Também foram acompanhadas por um guia muito bom que nos contou todos os detalhes do local e da história geológica. 
 Um lugar estranho e incomum.

 Aqui, o rio que flui no vale é naturalmente composto de pedras salgadas sobre ou através das quais a água flui. 
 De repente, as pessoas do vale construíram plataformas sobre palafitas para formar caixas de evaporação de sal (sal éguas sobre palafitas finalmente). 

Muitos canais que abastecem as diferentes parcelas. 

 Infelizmente o sitio, embora a restauração de 3 anos, está num estado muito avançado de degradação. 

Então, basta imaginar o que era antes, as operações crescendo. Muitas plataformas estão enterrados e escondidos na grama! É preciso muita imaginação!
 Visita interessante, terminada com um ‘molha pés e mãos’ de água salgada que seria uma espécie de mini-spa…
Ao regressarmos à autocaravana, o Eduardo tocou à campainha do Convento, sendo mandados dirigir para a sala de espera gradeada, onde surgiu a idosa ‘Madre’ que nos recebeu do lado de lá das grades. A meio da conversa surge entretanto uma outra igualmente idosa mas que quando abria a boca, a ‘outra’ ia travando já que seria a ‘Madre Superiora’…
O 'convento' da Ordem de Malta
À despedida, ofereceu-nos um pequeno sírio perfumado.
Abalamos, já no final da tarde em direcção a Vitória, onde a AS para AC se encontrava repleta.
À noite, ainda visitamos uma Feira de Artesanato Internacional.  
AS de Vitória
Percorridos: 720 Km ( Dia 72 Km )